A Ética, ao contrário de alguns crimes, não preescreve!

Ao ouvir o juiz Ivo Rosa pergunto: Será este o regular funcionamento das instituições? Resumindo, será esta uma verdadeira democracia?

O mediatismo de todo o processo “Operação Marquês” e das mais recentes decisões do juiz Ivo Rosa não podem ser indiferentes aos portugueses, na medida em que, a democracia, o Estado de Direito, ou sinais de alguma ausência dos dois nos exigem atenção e preocupação constantes.

A História do nosso país já viu, entre muitas situações em que a culpa morre solteira, Portugal falido, cadáveres no rasto de incêndios florestais, e mais recentemente as decisões do Juiz Ivo Rosa. Contudo, existe um claro ponto que as distingue…. Até aqui todos os portugueses queriam acreditar que era o Homem que falhava e não as instituições/regime. Neste caso, é diferente. As instituições falharam.

Através da repetida frase “à justiça o que é da justiça” por parte dos atuais governantes socialistas, percebemos que desde o primeiro momento que Sócrates é um problema político, com que o PS e António Costa tiveram efetivamente de lidar. Um homem que vive de empréstimos de bons amigos, que se enreda em histórias mal contadas no período em que é líder do Governo, que ouve que só não será julgado por corrupção, por ter mercadejado com o cargo, porque o crime prescreveu, tanto não tem condições para desempenhar cargos políticos, como coloca em dúvida todos os que lhe são próximos (como percebemos pela quantidade de pessoas envolvidas neste processo). E para entender isso, não são necessários Tribunais, apenas princípios e valores.

Assistimos por mais de três horas àquilo que mais parecia o julgamento do Ministério Público. Cada palavra de Ivo Rosa, adjetivou a acusação do MP de “vaga, incoerente, omissa e infundada”, anulou provas, deu os crimes mais graves como prescritos, desvalorizou os testemunhos que podiam comprometer Sócrates e credibilizou os que tinham o efeito contrário.

Depois de tal leitura todos devemos refletir: Será o MP incompetente? Será Ivo Rosa incompetente? Serão todos incompetentes? Será que se fica a acreditar que a corrupção tem dia marcado numa agenda para se materializar? Será isto o regular funcionamento das instituições? Resumindo, será isto uma verdadeira democracia?

A democracia não é só o dever e direito ao voto, é em primeira instância o correto, independente e eficaz funcionamento das instituições. É por isso que todos temos de continuar a lutar!

A ética, ao contrário de alguns crimes, nunca poderá prescrever.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.